Acesso à informação
Suporte

Você está aqui

UNA-SUS atinge o marco de 1 milhão de matrículas

Neste mês de agosto, o Sistema Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS) alcançou a marca de 1 milhão de matrículas, em sete anos de história. Hoje, as ofertas educacionais da UNA-SUS cobrem cerca de 98% dos municípios brasileiros, sendo que aproximadamente 50% dos profissionais capacitados são oriundos da atenção básica.

Coordenado pelo Ministério da Saúde, por meio da atuação conjunta da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Sistema UNA-SUS é composto por uma rede colaborativa de instituições de ensino que conta com 35 instituições de ensino superior que oferecem oportunidades de qualificação e educação permanente dos profissionais de saúde em todo o Brasil, por meio de cursos a distância.

Até o momento, já foram ofertados 188 cursos diferentes, totalizando 506 ofertas educacionais, que variam de cursos rápidos e autoinstrucionais a especializações. Tais qualificações proporcionaram que o Sistema UNA-SUS crescesse exponencialmente.

Foram 50 cursos de especialização ofertados, em 290 turmas diferentes. Destas, 210 tiveram como enfoque a Estratégia Saúde da Família e 187 estavam vinculadas a programas de provimento como Mais Médicos e PROVAB. Até o momento, são 49.605 matrículas nestas especializações que resultaram em 26.561 profissionais com título de especialista em saúde da família.

Para o Vice-Presidente de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz, Manoel Barral-Netto, “atingir a marca de 1 milhão de alunos no Sistema UNA-SUS é um orgulho para a Fiocruz, cumprindo um papel importante na formação dos profissionais de saúde em todo Brasil”, afirma. Barral ressalta ainda que a UNA-SUS, como sistema de formação em grande escala no campo da saúde, através das universidades e unidades da Fiocruz, principalmente Mato Grosso do Sul, foi fundamental para programas prioritários como o Programa de Valorização da Atenção Básica e o Mais Médicos.

À serviço da sociedade

Os cursos ofertados pela UNA-SUS não são escolhidos a esmo. As ofertas sempre acompanham as necessidades da população e trazem as especificidades de cada público, além de buscar soluções para os problemas de saúde pública.

Não por acaso, o curso de maior adesão, nestes sete anos, foi o Zika: Abordagem Clínica na Atenção Básica, com 53.900 matrículas, seguido do Hanseníase na Atenção Básica, com 50.353 e Manejo Clínico de Chikungunya, com 43.649 matriculados.

Tanto o vírus da Zika como da Chikungunya eram pouco conhecidos e desembarcaram no país por meio de um vetor já existente aqui, também responsável pela disseminação da dengue: o aedes aegypti. À época, enquanto as respostas científicas para o tratamento e a concepção de vacinas não chegavam, era preciso pensar em ações de impacto imediato. Em poucos meses, o lançamento desses cursos online propiciou a qualificação dos profissionais para o melhor atendimento à população.

Segundo a Diretora de Vigilância em Saúde de Aracaju, Taise Ferreira Cavalcante, os cursos da UNA-SUS são ótimos para manter a equipe sempre atualizada com relação aos protocolos do Ministério da Saúde.  “Como agrega muito conhecimento à rotina de trabalho, incentivo todo mundo da minha equipe a fazer os cursos. São curtos, objetivos – com carga horária de 30h, 45h, 60h – e ofertados a distância, o que oportuniza a gestão do horário para estudo conforme o tempo que temos disponível”, destaca. 

O mesmo aconteceu com o curso Hanseníase na Atenção Básica, que por abordar uma doença antiga e socialmente negligenciada, foi motivo de procura por parte de estudantes e profissionais de saúde que desejavam conhecer mais sobre a enfermidade.

É o caso da graduanda de enfermagem, Hionara Vasconcelos, de Sobral - CE. Segundo ela, o curso de Hanseníase proporcionou uma ampla visão da doença. “O curso nos oferece várias estratégias de como colocar em prática um atendimento holístico e humanizado, que respeita as especificidades de cada paciente. São abordadas as formas de tratamento e a promoção do autocuidado, com destaque à escuta ativa e qualificada que é de suma importância para o diagnóstico correto”, relata a estudante.

Além disso, as ofertas da UNA-SUS também acompanham as políticas públicas que estão em implementação no país, buscando disseminar o conhecimento sobre temáticas mais sensíveis para promover a atenção integral ao usuário do SUS.

É o caso dos cursos sobre a Política de Saúde para a População Negra, LGBT e das Populações do Campo, da Floresta e das Águas, que além de discutirem as políticas sobre os temas, trabalham questões relativas ao preconceito e às especificidades de cada população. Ambas as ofertas estão entre as quinze capacitações mais procuradas pelos usuários da UNA-SUS.

Para a enfermeira da secretaria de saúde do Distrito Federal, Sheila Freire, a UNA-SUS oportuniza a educação permanente dos profissionais de saúde.  “O bom da UNA-SUS é a possibilidade de estarmos sempre nos atualizando e capacitando. Quem trabalha com saúde sabe que muitas coisas caem em desuso. Os protocolos estão sempre sendo renovados e atualizados conforme se avança na descoberta de novas vacinas, medicamentos e exames”, enfatiza a enfermeira.

Conteúdo disponível para pesquisas

Todo o conteúdo produzido para os cursos da rede UNA-SUS - como e-books, áudios, vídeos, jogos e aplicativos - está disponível no Acervo de Recursos Educacionais em Saúde (ARES). O ARES é considerado hoje o maior acervo digital em saúde da América Latina, reunindo mais de 8.793 recursos educacionais de livre acesso e reutilização. Os conteúdos produzidos pelas instituições de ensino que compõem a Rede UNA-SUS versam sobre temáticas diferenciadas. O assunto com maior número de recursos publicado foi Atenção Primária / Saúde da Família, com 5.113 recursos; seguido de Educação em Saúde, com 1.360 e Promoção em Saúde, com 1.136.

Entre os recursos disponibilizados no acervo estão os projetos de intervenção frutos dos Trabalhos de Conclusão de Curso dos alunos das especializações da Rede UNA-SUS, em especial os resultantes do Projeto Mais Médicos para o Brasil, que possuem, atualmente, uma coleção específica para seu armazenamento.  Ao total, já são mais de 5.017 TCCs catalogados. Além da característica de ser multimídia, o acervo também possibilita o acesso a conteúdo de alguns cursos por completo, sem necessidade de matrícula.

Acompanhar para aprimorar

Para acompanhar a experiência de aprendizagem dos alunos e entender o impacto dos cursos na rotina de trabalho daqueles que estão nos serviços de saúde, a Secretaria Executiva da UNA-SUS, órgão da Fiocruz responsável pelo monitoramento e avaliação das ações do Sistema, tem realizado algumas enquetes com o público que interagiu com os seus cursos. Cerca de 15 mil alunos já participaram das enquetes pós-curso e a opinião geral deles revela excelentes resultados.

No índice geral, o percentual de alunos que afirmam estarem satisfeitos com o que aprenderam é de 87%. Perguntados sobre a aplicabilidade dos conhecimentos adquiridos durante o curso, 85% concorda ou concorda fortemente que teve a oportunidade de utilizar em seu trabalho o que aprendeu no curso e 86% concorda ou concorda fortemente que se sente mais preparado no trabalho para lidar com as atividades relacionadas ao conteúdo do curso.

O enfermeiro Reginaldo Silva, que mora em Brasília, já fez quatro capacitações da UNA-SUS. “Fiz o curso de manejo clínico da dengue, de diabetes, o de atenção domiciliar para adultos e o de cuidados em renais crônicos. Tanto o material teórico como os testes são muito bem elaborados. Os conhecimentos compartilhados agregaram muito a minha rotina do trabalho. Os casos clínicos apresentados, por exemplo, refletem a realidade, o que nos incentiva a buscar capacitação constantemente”, compartilha Silva.

Segundo o Vinícius de Araújo Oliveira, coordenador de gestão do conhecimento da Secretaria Executiva da UNA-SUS/Fiocruz, esses dados reforçam a tese de que os cursos online da UNA-SUS têm impacto direto na melhoria dos serviços de saúde. “Antigamente se acreditava que a educação a distância, principalmente baseada em cursos de curta duração, não mudava as práticas dos profissionais de saúde. Os cursos da UNA-SUS mostram uma realidade diferente, e acredito que esteja relacionado ao uso de metodologias interativas, a sua capilaridade nacional e a seu caráter como cursos oficiais do Ministério da Saúde”, afirma.

De acordo com a diretora do Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES/SGTES/MS), Claudia Brandão, a UNA-SUS é para o Ministério da Saúde uma das maiores conquistas para a condução de iniciativas na área da educação na saúde, pois “possibilita promover a capilaridade de ações educacionais com ênfase na educação permanente em saúde, de modo a alcançar da forma mais rápida e efetiva todos os profissionais e trabalhadores de saúde que atuam no SUS”, diz.

 

Certificação e base de dados

O aluno que participa dos cursos do UNA-SUS recebe certificado de acordo com o perfil de público de cada capacitação. Para os alunos de especialização, são expedidos certificados por algumas das melhores universidades brasileiras e reconhecidos pelo MEC. Os títulos de mestrado profissional são reconhecidos pelo MEC como título de pós-graduação stricto sensu.

Também existem cursos de aperfeiçoamento e os cursos de curta duração, que podem ser considerados como cursos de extensão ou cursos livres de qualificação profissional e reconhecidos por muitos empregadores como atividade de educação permanente e mesmo para fins de concursos e progressão laboral.

Todos os dados dos cursos e suas ofertas estão registrados na Plataforma Arouca, um banco de dados nacional do SUS, sob responsabilidade da Secretaria Executiva da UNA-SUS/Fiocruz, que contém ainda o registro histórico dos profissionais de saúde do SUS, seus certificados educacionais. Por meio dessa ferramenta o usuário poderá visualizar os cursos ofertados, filtrados conforme a profissão, o interesse e a região.

Os cursos em oferta também podem ser acessados pelo link.