Curso

UFSC lança novo curso sobre a saúde do Homem

Com carga horária de 30h, o curso é livre e tem como objetivo implementar e fortalecer a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.

- Ascom SE/UNA-SUS



Profissionais de saúde interessados em aprofundar os conhecimentos relacionados às peculiaridades da atenção referente à saúde do homem, já podem se inscrever no mais novo curso Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.

A oferta foi desenvolvida pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em parceria com o Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Nacional de Saúde do Homem (CNSH/DAPES/SAS/MS). O objetivo é auxiliar na implementação e fortalecimento da Política de Saúde do Homem, provendo aos profissionais de saúde o conhecimento necessário para reconhecer as especificidades desse tipo de assistência e, consequentemente, aproximar os homens dos serviços de saúde e suas respectivas ações de promoção e prevenção.

O curso é livre, totalmente gratuito e tem início imediato. As inscrições podem ser realizadas até 30 de novembro de 2019, pelo link. A carga horária de 30 horas.       

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os homens brasileiros vivem, em média, 7,2 anos a menos que as mulheres. Entre as causas de morte prematura estão a violência e acidentes de trânsito, além de doenças cardiovasculares e infartos. Essas últimas, juntamente com as estatísticas que mostram que o homem normalmente adentra o Sistema Único de Saúde pelos serviços de atenção especializada - média e alta complexidade -, apontam uma necessidade de aumento na busca regular de medidas de prevenção primária.  

A partir desse panorama, o Ministério da Saúde implementou, em 2009, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) com vistas à promoção de ações em saúde que contribuíssem para a compreensão da realidade singular masculina e propiciassem um melhor acolhimento no SUS, com foco especial à Atenção Primária.

Dessa forma, o curso busca a efetiva extensão da cobertura do SUS às diversas populações masculinas mediante o conhecimento e a implementação da PNAISH, considerando os desafios vivenciados pelo profissional de saúde em sua prática diária, por meio de sua compreensão referente às possibilidades de aplicação da PNAISH no contexto do SUS e da Estratégia Saúde da Família (ESF).

Segundo a coordenadora do curso, Sheila Rubia Lindner, a oferta traz as estratégias de atuação da atenção básica para a efetivação da PNAISH, procurando identificar a importância de tais ações para a prevenção e promoção da saúde do homem, considerando as barreiras de acesso e adesão da população masculina aos serviços de saúde.

“Este curso proporciona, aos profissionais da saúde, aprofundarem seus conhecimentos referentes à Atenção Básica, enquanto revisam os princípios e diretrizes do SUS, da Política Nacional da Atenção Básica (PNAB) assim como os principais pontos tratados na PNAISH”, explica a coordenadora.

Além de evidenciar os principais fatores de morbimortalidade, a PNAISH explicita o reconhecimento de determinantes sociais que resultam na vulnerabilidade da população masculina aos agravos à saúde. Em suas diretrizes também considera que representações sociais sobre a masculinidade vigente comprometem o acesso à atenção integral e repercutem de modo crítico na vulnerabilidade dessa população a situações de violência e de risco para a saúde. Mobilizar a população masculina brasileira pela luta e garantia de seu direito social à saúde é um dos desafios dessa política.

Isto posto, o curso contextualiza a implantação do Sistema Único de Saúde, apontando os princípios e diretrizes do SUS e traz a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) e a Estratégia Saúde da Família (ESF) como porta de entrada para os homens no sistema de saúde. Na sequência, traz a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), enfocando a população masculina em seus diversos contextos socioculturais e históricos do campo de saúde do homem até a PNAISH. Por fim, aborda, também, os desafios para se promover um novo olhar na atenção à saúde do homem.

 “A abordagem da PNAISH no curso tem a finalidade de oferecer, ao profissional da saúde, subsídios para a reflexão e construção de estratégias de ampliação do acesso e do acolhimento dos homens pelos serviços públicos de saúde, favorecendo a resolutividade de demandas, a universalização do conhecimento e o manejo das necessidades deste público em todo o sistema de saúde brasileiro”, arremata Lindner.

Para saber mais sobre esse e outros cursos UNA-SUS, acesse www.unasus.gov.br/cursos.