Institucional

25ª Reunião da Rede UNA-SUS debate a educação a distância e formação em rede para o SUS

O evento acontece em Salvador, nos dias 7 e 8 de novembro, e conta com palestras, oficinas, reuniões, lançamento de livro e mostra de experiências.

- Ascom SE/UNA-SUS



A 25ª Reunião da Rede UNA-SUS começou nessa quinta-feira (7/11/19), em Salvador/BA. Durante dois dias, coordenadores e técnicos da Rede UNA-SUS estarão reunidos em palestras, oficinas, mesas e reuniões. Também haverá o lançamento do livro “Práticas Inovadoras da Rede UNA-SUS: experiências e desafios para a educação permanente do SUS”, que conta com diversos capítulos escritos por membros das Instituições de Ensino da Rede e a IV Mostra de Experiências Exitosas, com exposições de artigos em formato de poster. O evento foi organizado pela UNA-SUS/UFBA, com apoio da SE/UNA-SUS.

Na conferência de abertura, composta por membros do Ministério da Saúde e da anfitriã UFBA, a Secretária Executiva da UNA-SUS Fabiana Damásio ressaltou a importância do encontro para troca de experiências. Discorreu sobre os quase dez anos de uma Rede extremamente qualificada, que tem como objetivo cumprir o desafio de qualificar profissionais de saúde. “Inicio aqui as comemorações dos 10 anos do Sistema UNA-SUS, marco de um desafio que se instalou porque era necessário fazer valer a educação permanente como elemento estruturante do Sistema Único de Saúde”, pontuou.

Para Fabiana, a comemoração também é um registro de todo acúmulo de tecnologias educacionais construídas a partir da interação com as universidades, presentes hoje com os mais de 13 mil recursos educacionais de livre acesso, disponíveis no Acervo de Recursos Educacionais em Saúde da UNA-SUS, o ARES. “É o momento de lembrar que, a partir da mobilização feita pela Secretaria Executiva, avançamos de modo significativo no desenvolvimento de novas ferramentas, a fim de facilitar o processo educacional”.

Sobre a Rede, a secretária ressaltou que “as universidades se tornaram referência na estruturação de núcleos de EaD e fizeram com que o debate sobre a modalidade se fizesse presente e a sua construção, uma realidade”. Destacou o papel da formação frente às emergências sanitárias, como o caso da Zika, em 2016, e sarampo, cujo curso está sendo finalizado.   

O professor Gildácio Daltro, da Faculdade Medicina da UFBA e coordenador da UNA-SUS/UFBA afirmou que a universidade está honrada com a união da UNA-SUS com a UFBA, que aderiu à Rede UNA-SUS há dois anos.

“Na primeira oportunidade que tivemos, aceitamos o desafio de aderir à Rede. Encontramos o desejo de atingir o conhecimento que a UNA-SUS possui. É difícil imaginar saúde sem educação.  Vamos lutar, cada dia mais e juntos, para que a UNA-SUS seja cada dia mais forte”, afirmou.

Representando o reitor da UFBA, a diretora do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, Isabela Pinto, destacou a necessidade da utilização de estratégias para democratizar o conhecimento, em defesa da qualidade dos serviços de saúde do Brasil. “A política de educação permanente é muito cara para nós. O que fazemos produz efeito na qualidade do cuidado e da assistência em saúde”, afirmou. Ela comparou o trabalho em educação em saúde com a Maniçoba – uma comida tipicamente baiana, que exige paciência por levar horas de preparo e exigir coragem para encarar depois de pronto.

Para Adriana Fortaleza Rocha da Silva, do Deges, o Sistema UNA-SUS uma potência, “devemos fortalecê-lo, pois garantir o SUS com profissionais qualificados é nosso maior objetivo”.

Também estiveram presentes na mesa de abertura o vice-diretor da faculdade de medicina da UFBA, José Valber Menezes; a vice-diretora de ensino e informação do Instituto Gonçalo Muniz/Fiocruz Bahia, Patrícia Sampaio Tavares Veras; o Diretor de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, Bruno Guimarães de Almeida e Ana Rita Duarte, da Universidade Estadual de Feira de Santana.

Desafios da atuação em Rede

Para falar sobre os Desafios da atuação em Rede, o ex-secretário executivo que conduziu a UNA-SUS por 8 anos, Francisco Campos fez um resgate histórico da Rede. Ele destacou o enorme potencial da UNA-SUS e capital técnico-político acumulado até aqui. “Foi um processo de construção longo, que demandou conhecimento técnico de uma Rede, que tem um elemento comum, que é o compromisso com a educação”, disse. Campos destacou a alta qualidade dos cursos oferecidos em diversos níveis e temas e ressaltou o ineditismo do Sistema UNA-SUS, por oferecer conhecimento em tão larga escala, baseada a partir da visão do SUS.

“Pensando em 10 anos atrás, talvez ninguém acreditasse que chegaríamos onde chegamos: mais de 2 milhões de matrícula e quase 99% de cobertura municipal em todo Brasil”, destacou.

“O patrimônio da UNA-SUS é esse conjunto da Rede UNA-SUS, com apoio da Fiocruz e universidades, que permite o fortalecimento da intercredencialidade e a educação permanente”, finalizou.

Texto: Claudia Bittencourt

Fotos: Cissa Paranaguá