Acesso à informação
Suporte

Você está aqui

Marco Conceitual

A proposta didático-pedagógica da UNA-SUS pressupõe uma aprendizagem ativa, fundamentada a partir de saberes que o aluno traz de sua prática cotidiana, de suas experiências no trabalho e na vida. Uma aprendizagem que tem como base o trabalhador coordenando seus estudos, de acordo com seu tempo disponível, tecnologias a que têm acesso e prioridades do SUS.

Assume-se a posição de Paulo Freire, em que os papéis de aprendiz e professor são dinâmicos. Aprendemos o tempo todo, uns com os outros. Para isso, é importante estabelecer um itinerário, apontar claramente onde é o ponto de partida e onde se pretende chegar. Reconhece-se que hoje predomina – mesmo em processos ditos de educação permanente – o ensino tradicional, centrado no professor, implicando em uma universidade entendida como uma instituição fechada, corporativa, em que os alunos são visitantes que vêm beber na fonte do saber. 

A Universidade Aberta entende o processo de aprendizagem sob uma dinâmica diferente, já que é centrada no profissional-estudante, onde se reconhece que o saber é construído e reconstruído cotidianamente por todas as pessoas. Onde se valoriza o saber produzido no serviço, na experiência e no conhecimento prévio de cada aprendiz. 

Nesse contexto, o papel do professor ganha uma nova dimensão, atuando não como aquele que detém todo conhecimento e sim como um facilitador, uma oportunidade a mais de aprendizado. A Universidade torna-se um ponto de enlace e diálogo entre diversos tipos de saber, cada um com sua legitimidade e contexto de aplicação. 

Se a proposta é que todos os profissionais atinjam determinados objetivos educacionais, balizados pela necessidade social de um maior padrão de qualidade no atendimento à saúde dos cidadãos, a abordagem deve ser a da aprendizagem e não do ensino. Deve-se admitir que o tempo de cada profissional-estudante para atingir os objetivos necessários à aquisição e processamento de novos saberes vai variar, e os processos de educação permanente têm que se adaptar a essa realidade. 

Assumida a perspectiva da aprendizagem, fica claro que a produção de conhecimento ocorre em todos os lugares, entre todas as pessoas. Organizar essa produção, dar-lhe cientificidade e garantir a qualidade do material produzido para disseminar esse conhecimento, requer, porém, um esforço direcionado dos órgãos do governo, das entidades da sociedade civil e da academia. Um dos papéis da UNA-SUS é ser o elo entre essas instituições.