Acesso à informação
Suporte

Você está aqui

Neste curso o ‘Acesso como Visitante’ disponibiliza todo o conteúdo sem restrição de usuário, porém para que possa receber seu certificado, é preciso atender à especificação abaixo:

Possuir dados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), ativo ou inativo, nas seguintes ocupações:

Assistente Social;                                                                 • Biólogos; 

Biomédicos;                                                                         • Profissionais de Educação Física; 

Enfermeiros;                                                                        • Farmacêuticos; 

Fisioterapeutas;                                                                   • Fonoaudiólogos; 

Médicos Clínicos;                                                                 • Médicos em Especialidades Cirúrgicas; 

Médicos em Medicina Diagnóstica E Terapêutica;                 • Médico Veterinário; 

Nutricionistas;                                                                      • Cirurgiões-Dentistas; 

Psicólogos e Psicanalistas e                                                 • Terapeutas Ocupacionais.

Carga Horária deste curso: 02 horas.

 

"Este curso é resultado de uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). O objetivo da iniciativa é fazer com que médicos e enfermeiros da atenção básica e da urgência e emergência aprendam ou se aperfeiçoem no diagnóstico e tratamento da dengue. A expectativa é de que a capacitação dos profissionais, por meio de quatro casos clínicos que ocorrem comumente no dia a dia, possibilite uma redução ainda maior dos casos graves e da mortalidade pela doença.

Por meio do esforço das autoridades brasileiras e da sociedade civil para controlar a doença, o Brasil conseguiu reduzir em 28% o número de casos de dengue entre 2010 e 2011. Os registros e óbitos da doença também têm alcançado significativas quedas ao longo dos anos.
A redução sustentada no número de casos graves e óbitos se deve, principalmente, à organização da rede pública de saúde em todo o país, a ampliação no fluxo de atendimento e, sobretudo, ao diagnóstico precoce. Também se destaca como contribuição para esta redução, o esforço dos profissionais de saúde e as atividades de vigilância e controle do mosquito Aedes aegypti, realizadas pelos agentes de saúde e população, contribuindo dessa maneira na redução do impacto das epidemias de dengue.
Neste ano, o governo federal repassou a um conjunto de munícipios vulneráveis para ocorrência da doença, um adicional de recursos de R$ 92,8 milhões para ações de prevenção e controle.
O curso é composto por módulos, totalmente autoinstrutivo, não há tutores, podendo ser feito diretamente pela internet. São quatro casos clínicos a serem solucionados pelos participantes. Cada caso deve demandar, em média, 15 minutos para ser completado, podendo estender-se de acordo com a necessidade de pesquisa dentro do conteúdo do curso.
A plataforma à distância é compatível com smartphones. Assim, o profissional de saúde poderá acessar o conteúdo via Ipad ou Iphone. Outra opção é efetuar o download do conteúdo e desenvolver o curso sem acesso à rede, por computador ou celular.
Médicos e enfermeiros podem ainda compartilhar experiências por meio de redes sociais, como o Facebook e, também, participar de enquetes e fórum de discussão promovidos na plataforma do curso. Outra ferramenta disponível é um aplicativo para o sistema Android que pode ser baixado no celular para guiar o profissional da saúde quando efetuar a classificação clínica da doença.
Nós acreditamos que esse curso será uma ferramenta adicional na qualificação de nossas equipes de médicos e enfermeiros da atenção básica e de urgência e emergência, pois oferecerá os conhecimentos necessários para manejar, diagnosticar e tratar os casos de dengue.

Bem vindos e bom curso!"

 

 

Jarbas Barbosa