Acesso à informação
Suporte

Você está aqui

Neste curso o ‘Acesso como Visitante’ disponibiliza todo o conteúdo sem restrição de usuário, porém para que possa receber seu certificado, é preciso atender à especificação abaixo:

Possuir dados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), ativo ou inativo, nas seguintes ocupações:

Assistente Social;                                                                 • Biólogos; 

Biomédicos;                                                                         • Profissionais de Educação Física; 

Enfermeiros;                                                                        • Farmacêuticos; 

Fisioterapeutas;                                                                   • Fonoaudiólogos; 

Médicos Clínicos;                                                                 • Médicos em Especialidades Cirúrgicas; 

Médicos em Medicina Diagnóstica E Terapêutica;                 • Médico Veterinário; 

Nutricionistas;                                                                      • Cirurgiões-Dentistas; 

Psicólogos e Psicanalistas e                                                 • Terapeutas Ocupacionais.

 

Carga Horária deste curso: 30 horas.

 

'Esse curso é resultado de uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). O objetivo da iniciativa é fazer com que médicos e enfermeiros de toda a rede básica do país (de centros de saúde, de postos de saúde e das equipes de saúde da família) aprendam a diagnosticar casos de tuberculose, manejar corretamente e promover atividades de detecção, controle e busca de contatos. A capacitação dos profissionais possibilitará uma redução ainda maior da incidência e da mortalidade pela doença.

Apesar dos grandes avanços que tivemos nos últimos anos, a tuberculose ainda é um grande problema de saúde pública em nosso país. A manutenção do problema acontece, entre outros motivos, porque menos de 60% dos casos são diagnosticados na atenção básica. Ainda é muito frequente no Brasil, infelizmente, que casos de tuberculose só sejam diagnosticados nos prontos-socorros e nas unidades de pronto atendimento (UPAs), quando o paciente já apresenta um quadro mais grave.

O diagnóstico precoce é o primeiro passo para a redução da mortalidade por tuberculose, que ainda é relativamente alta em nosso país. O segundo passo está relacionado ao atendimento: o vínculo entre paciente e atenção básica vai aumentar muito as chances de que ele complete o tratamento, atingindo um percentual de cura elevado. Esta é outra grande estratégia para reduzir a incidência da tuberculose.

Por último, nas ações de vigilância, é importante a realização da busca de contatos. Onde existe um caso de tuberculose, seja no ambiente familiar, no ambiente do trabalho, no ambiente de convivência, provavelmente existem outros casos de tuberculose. Encontrá-los, diagnosticar precocemente e tratá-los significa interromper a cadeia de transmissão e fazer com que a tuberculose se reduza ainda mais no Brasil.

O curso  é composto por módulos, totalmente auto-instrutivo, não há tutores, a pessoa faz diretamente pela internet. Nós acreditamos que ele vai ajudar muito a qualificar a nossa atenção básica, pois oferecerá os conhecimentos necessários para manejar, diagnosticar e tratar um caso de tuberculose.  Assim, esperamos aperfeiçoar ainda mais as ações do nosso programa de tuberculose.

Bem-vindos e bom curso!"

Jarbas Barbosa

Secretário de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde

*O conteúdo do Curso é de responsabilidade da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS).